03XDISTOPIAS

PASSAGEM LITERÁRIA DA CONSOLAÇÃO 

Do dia 22/02 a 30/03 de 2019, os artistas Ck Martinelli, Elton Hipolito e Luiz83  apresentam a exposição coletiva 03XDISTOPIAS, na Passagem Literária da Consolação (São Paulo-SP). Com texto curatorial de Camila Marchiori e Luiz Brandão.

03XDISTOPIAS

 

A Distopia, ou a antiutopia, se caracteriza pelo autoritarismo e pela ação opressiva no controle da Sociedade que podemos reconhecer através do ódio virtual, pela vigilância constante, intolerância, totalitarismo, apatia social, descontrole tecnológico e ambiental. Uma miríade de acontecimentos, onde as notícias atropelam-se umas sobre as outras levando toda a sociedade há um estado amorfo. Alegorias, vitrines e artificialidades são sintomas de que a realidade ficcional diatópica já são presentes, apesar dos avisos prementes que vem desde o século passado.

Refletir sobre a contemporaneidade é surtar sobre a gama de colapsos que passamos diariamente. Quais e como pensar o assunto mais urgente? Como selecionar as urgências? Existe hierarquia entre as urgências? O que podemos afirmar mesmo que sem respostas as questões acima?

Entre a existência fugidia, a superficialidade dos relacionamentos e o consumo desenfreado têm o anuncio das condições que se encontram toda a sociedade em atender mais os interesses político-econômicos as nossas necessidades reais e, com efeito, a Distopia é acima de tudo constituinte de todo perfil contemporâneo que visam formar um diagnóstico do presente, capaz de identificar os componentes que bloqueiam a emancipação e o avanço de todos os sistemas autoritários.

Partindo assim dos desdobramentos sórdidos, a exposição 03xDISTOPIA analisam sintomaticamente os agentes Distópicos que enfrentamos sutilmente no presente, apontando caminhos para refletir criticamente a contemporaneidade que reverberam aqui na mostra não correspondendo aquela velha visão futurista ou de ficção, mas numa previsão do que é preciso combater no presente e tão logo, a narrativa Distopia arregimentam-se num alerta sobre os rumos da sociedade e os desencadeamentos que podem se repetir no futuro sem trégua.  

Especificamente aqui nesta passagem debaixo do asfalto de uma das principais avenidas da capital, artistas anunciam suas formas distopicas já vigentes segundo as suas competências artísticas revelando os fatos e efeitos numa critica a acerca das mutações sociais e suas incidências sobre o campo da subjetividade, da política e da ética adensadas nas obras dispostas neste espaço subterrâneo.

Não obstantes e atentos, os três artistas; Ck Martinelli, Elton Hipolito e Luiz83, explanam os pontos de diferentes atritos de uma mesma realidade remetendo-nos as análises radicais do mesmo país, atribuindo desde o ciclo do plástico as relações de poder  num mesmo momento onde tragédias de grande proporção nos leva interrogar a própria cultura do descarte e o seu  impacto através do dejeto industrial somadas as condições imagéticas nas poses (vide fotografias) e igualmente nos grandes lugares que declaradamente personificam-se no “uso” nas silhuetas na forma  de “barro” em determinadas imagens que outrora alastrou-se pela força da catástrofe “anunciadas” e fomentadas pelas controvérsias nas escolhas políticas e dos modelos econômicos que no Brasil onde são dadas impavidamente via as leis da lucratividade estranhamente justificadas.

Em suma, a narrativa desta perspectiva, busca chamar nossa atenção para as relações heterônicas entre subjetividade, sociedade e cultura e imediatamente nesta mostra é resultante da reflexão perante os indícios distópicos da contemporaneidade, possibilitando o reconhecimento deste perfil aqui vigente há tomado da responsabilidade buscando projetar um futuro menos trágico.

Camila Marchiori / Luiz Brandão

Fevereiro 2019

GALERIA NELLO NUNO

FUNDAÇÃO DE ARTE DE OURO PRETO 

De 03 a 26 de agosto de 2018 o artista plástico e restaurador Elton Hipolito realizou sua primeira exposição individual. Selecionado no edital de ocupação da Galeria Nello Nuno, na FAOP - Fundação de Arte de Ouro Preto-MG.

A exposição "Lacunas da Memória – Fragmentos de um Tempo Esquecido" esta dividida em 3 momentos distintos na produção do artista Elton Hipolito, apresentando trabalhos desenvolvidos no período de 2015 a 2018: a série Lacunas da Memória, a série Habitados pelas Memórias e a série mais recente  Marcas

  

Não há um rigor linear na produção das obras, visto que as temáticas das pinturas surgem e ressurgem em diferentes épocas, no entanto os conceitos de cada uma das séries intercalam-se e dialogam-se entre si.

 

Em suas pinturas, Elton busca levantar questionamentos e reflexões que surgem de vivências pessoais e de impressões de nossa sociedade atual inerentes ao esquecimento, a memória, a história, a preservação o pertencimento.